Como fazer o orçamento anual de contas e alinhar isso à estratégia?
comofazeroorcamentoanualdecontasealinharissoaestrategia

Como fazer o orçamento anual de contas e alinhar isso à estratégia?

O orçamento anual de contas é uma ferramenta essencial para auxiliar o planejamento e controle financeiro de uma empresa. Se elaborado de maneira correta, esse instrumento pode contribuir bastante para o cumprimento da estratégia organizacional.

Quer entender melhor sobre os principais aspectos do orçamento anual de contas e como confeccioná-lo? Confira a seguir nosso guia completo!

Entenda o que é um orçamento anual de contas

O orçamento consiste em um cálculo aproximado das receitas e despesas de um negócio ao longo de determinado período. Na maioria dos casos, ele é feito anualmente para empresas.

Trata-se de uma ferramenta muito importante para a gestão financeira do negócio, pois permite planejar a forma como serão utilizados os recursos econômicos da empresa e assim prever gastos, rendas, débitos, entre outros. Uma empresa com um orçamento bem-feito consegue ter muito mais segurança na tomada de decisões financeiras.

O orçamento determina de qual maneira a receita será distribuída conforme as diferentes despesas, custos e até investimentos feitos pela empresa.

Portanto, esse instrumento permite ter uma visão geral da saúde financeira do empreendimento, obtida a partir do controle de finanças. Isso também viabiliza que haja maior equilíbrio entre os lucros e gastos, bem como possibilita traçar metas e focar em estratégias apropriadas de crescimento.

Para cumprir suas funções com eficiência, o orçamento anual deve ser elaborado de maneira realista e incluir quantas movimentações financeiras forem possíveis prever no momento de sua confecção. Só assim, os gestores da empresa poderão compreender a real situação do negócio e traçar as melhores estratégias para ele.

Pensando em facilitar a sua vida, separamos as melhores dicas sobre como elaborar um orçamento anual de gastos e como alinhá-lo à estratégia organizacional. Confira a seguir!

Melhores práticas para confeccionar um orçamento anual de gastos

Defina metas a serem cumpridas

O primeiro passo para um orçamento bem elaborado é propor valores para serem poupados e investidos. Isso deve ser feito com base e uma análise minuciosa das obrigações negociais e previsões econômicas.

O gestor deverá conferir detalhadamente todas as rendas que serão auferidas no ano, bem como fazer uma estimativa dos gastos e estabelecer um percentual a ser poupado em todos os meses. Esse valor deve girar em torno de 20% a 30% da renda mensal.

O dinheiro poupado não pode ser deixado parado, devem ser avaliadas todas as possibilidades de investimentos e aplicada a quantia conveniente para que o montante comece a render. O gestor pode optar pelo perfil de investimentos mais recomendável para aquele negócio e verificar quais são as hipóteses que melhor se encaixam no orçamento.

Também é possível contar com a ajuda de uma corretora de investimentos ou profissionais que sejam especializados para obter melhores orientações.

Levar o maior número possível de cenários em consideração

No momento de pensar em um orçamento anual de contas, é preciso trabalhar com os diferentes cenários que a empresa pode vivenciar ao longo desse período. Isso porque o orçamento é composto de previsões ou estimativas, que, por sua vez, são baseadas em suposições e probabilidades.

Pode ser que os fatos no decorrer do ano sejam diferentes do previsto, que os planos mudem, surjam oportunidades ou adversidades ao longo desse tempo. Por isso, é preciso que o gestor visualize de antemão o maior número de possibilidades e cenários em contextos distintos, a fim de conseguir planejar a melhor solução para cada um deles.

De acordo com especialistas, um orçamento bem-feito deve trabalhar com três cenários diferentes:

  • otimista: composto por projeções de receitas e gastos que correspondem exatamente aos planos do negócio. Nesse caso, se todas as previsões se realizarem, os resultados serão mais satisfatórios do que uma projeção realista houver estimado.
  • realista: nesse cenário, as projeções devem estar próximas da realidade e não haverá muita folga para se operar com o orçamento.
  • pessimista: trata-se do pior cenário, decorrente de imprevistos que possam impedir a concretização das metas da empresa e obtenção dos ganhos planejados.

Ao pensar em soluções para todos esses cenários, o gestor poderá amparar o negócio com opções de orçamentos que atenderão eficientemente às necessidades da empresa no momento futuro.

Realizar uma estimativa geral de gastos

Esse tipo de ação consiste no levantamento de tudo aquilo que será gasto pela empresa ao longo do período de 12 meses. É preciso listar as prováveis despesas com necessidades básicas, como débitos trabalhistas, alimentação, higiene, limpeza, aluguel, dentre outros. Em seguida, devem ser previstos os gastos com saídas, compras, mensalidades, contas, etc.

Uma boa ideia é reunir os comprovantes de pagamento de todas as despesas do ano anterior, somar todos esses valores e então dividi-los por 12. Assim, será possível ter uma ideia aproximada da média mensal de gastos do empreendimento e distribuí-los no orçamento. Essa prática também viabiliza identificar quais gastos serão necessários ou não, e determinar como compatibilizá-los com a renda.

Determinar como será sua renda total do ano

Em seguida, o gestor deverá registrar todos os valores que aquele negócio espera receber pelo mesmo período de 12 meses. Para isso, deve apontar na planilha, quais são os montantes relativos a: rendimentos, pró-labore, venda de ativos, contas a receber, indenizações, entre outros.

Nesse momento é fundamental o gestor considerar que a renda anual precisará cobrir todos os gastos previstos da etapa anterior, com sobras. Apenas dessa forma a empresa poderá operar no mercado de maneira saudável e competitiva.

Criar categorias para cada um dos gastos e rendas

Um orçamento anual de contas organizado deverá providenciar a categorização de gastos e rendas. Dessa forma, fica muito mais fácil visualizar os panoramas gerais e específicos, o que certamente facilitará a elaboração de estratégias para o empreendimento.

Além disso, será mais simples monitorar as estimativas e compará-las à realidade da empresa, e assim controlar quais setores são responsáveis por gerar rendas ou despesas para o negócio. Uma boa dica é organizar o orçamento de acordo com as áreas do negócio: comercial, logística, produtiva, entre outras.

Desse modo, será muito mais fácil realizar o controle financeiro e definir estratégias para o aumento de rendas e redução de gastos.

Por fim o gestor pode e deve acompanhar os resultados do orçamento anual de contas e conferir se estão ou não de acordo com as previsões. O controle das finanças permitirá evitar situações negativas, por exemplo, e apontar quais resultados foram alcançados. Para isso, vale fazer um balanço mensal ou semestral, e acompanhar de perto o andamento da empresa.

Já sabe como vai implementar nossas dicas em seu negócio? Compartilhe conosco suas experiências nos comentários!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.