5 considerações ao escolher seu programa de seguro! - Blog Multirisco 5 considerações ao escolher seu programa de seguro! - Blog Multirisco
5consideracoesaoescolherseuprogramadeseguro

5 considerações ao escolher seu programa de seguro!

Uma apólice de seguro protege o contratante contra riscos futuros e incertos, que podem ou não serem verificados concretamente. Fato é que, em uma atividade de risco, como é o caso de toda e qualquer empresa em atuação, é impossível não se vislumbrar a importância e a necessidade da adesão a um programa de seguro.

A contratação funciona como uma espécie de proteção antecipada, ou de blindagem patrimonial, para que a ocorrência de sinistros, que são os eventos danosos cobertos pela apólice, não representem maiores prejuízos à empresa. Além de possibilitar a continuidade da empresa, também significa que pessoas serão amparadas de forma célere, sem maiores burocracias.

Mas é necessário conhecer o seu negócio, bem como os programas de seguro oferecidos, para que se faça a contratação ideal. Quer saber mais sobre o assunto? Continue a sua leitura e entenda melhor. Confira!

1. Funcionamento dos programas de seguro empresariais

O programa de seguro deve ser escolhido por meio de uma análise rigorosa sobre os riscos aos quais a empresa está exposta, e da probabilidade de serem verificados concretamente. Algumas coberturas podem ser obsoletas para alguns setores, enquanto outras, indispensáveis.

Elas funcionam para proteger o negócio e preservar a atividade desenvolvida, preservando-se a rentabilidade e a estrutura conquistada. Isso não quer significar que o contratante poderá deixar de tomar determinados cuidados que diminuiriam as chances do sinistro acontecer, pois isso pode até mesmo excluir a obrigação da seguradora em indenizá-lo, e sim que caso aconteça o indesejável, o prejuízo não gerará maiores agravos à firma.

2. Seguro para blindagem patrimonial

Essa é a missão mais conhecida de uma apólice, a blindagem patrimonial. Embora não possa ser tecnicamente considerado um investimento, o seguro atua de forma a preservar o patrimônio conquistado para que não seja lapidado por eventos danosos que estejam abarcados pela cobertura contratada.

No contexto empresarial, é importante para negócios de todos os portes, em todas as fases. A atuação de qualquer empresa implica na existência de máquinas e insumos, sede física, dentre outros bens que formam o seu patrimônio.

Alguns seguros patrimoniais são obrigatórios, como a proteção contra incêndio e contra acidentes de trabalho, sem os quais a empresa não conseguirá funcionar regularmente. Mas alguns outros também são importantes, a exemplo do seguro contra roubo, furto, e eventos climáticos, como descargas elétricas.

Se uma máquina é furtada ou roubada, a depender da essencialidade dela no seu negócio, a atividade terá que ser paralisada. Isso afetará diretamente a rentabilidade, e vai gerar dificuldades para o cumprimento de diversas obrigações, como o pagamento de funcionários.

3. Seguro para responsabilidade civil

Quem presta serviços diretamente ao consumidor deve se prevenir dos riscos próprios do seu ofício, notadamente profissionais da área de saúde e de serviços que envolvem questões burocráticas. Por vezes, não há sequer que ser verificado o dolo ou a culpa do prestador, pois a responsabilidade é objetiva, havendo poucas causas que possam gerar a exclusão da responsabilidade civil.

Estar há anos ou décadas no mercado não serve como garantia suficiente para que se tenha a tranquilidade de saber que não haverá alguma falha ou erro na prestação do seu serviço, e para quem entrou no mercado há pouco tempo, é ainda mais necessário, seja pela inexperiência, seja por dispor de pouco dinheiro para arcar com indenizações.

Médicos e odontologistas são alguns dos profissionais que carecem desse tipo de proteção, pela complexidade de seus trabalhos, bem como por muitas vezes estarem vinculados a entregarem determinados resultados. É o exemplo de um cirurgião plástico, que caso não deixe o nariz de uma cliente da forma que ela pediu, poderá ter que refazer seu trabalho ou indenizá-la. Eventualmente, poderá gerar algum dano estético, caso em que a indenização será ainda mais onerosa.

Advogados nem sempre possuem a obrigação de entregar determinado resultado, mas sempre deve utilizar da melhor técnica apta a obter o êxito. É o caso da atuação contenciosa, que depende da decisão de um terceiro, no caso, o juiz, o que faz com que seja impossível vincular o advogado a determinado resultado. Mas dentro da sua obrigação de empregar os meios necessários para a defesa dos interesses do seu cliente, ele pode incidir em falhas que gerem o dever de indenizar o seu cliente, como a perda de um prazo processual.

4. Abrangência da cobertura

A proposta da apólice levará em consideração dois principais fatores, quais sejam, a abrangência da cobertura e a probabilidade de ocorrência de sinistros. Mas é preciso ter em mente que a sabedoria popular não está errada ao propagar a ideia de que “prevenir é melhor que remediar”.

É para isso que serve uma apólice, com a peculiaridade de que a tranquilidade é alcançada no momento da contratação, e a prevenção se confunde com uma menor onerosidade na hora de remediar, tendo em vista que os danos inevitáveis serão indenizados pela seguradora, dentro do valor que conste da apólice.

Compreender a abrangência da cobertura é fundamental, pois a obrigação de indenizar só ocorre em relação aos riscos que expressamente constem da apólice contratada. Ou seja, danos que sejam alheios ao objeto da contratação, não estarão cobertos, portanto, não serão indenizados. Também deve se ter ciência de que caso um risco seja eliminado ou reduzido, isso poderá ser considerado, eliminando determinada cobertura ou conferindo um desconto à contratação.

5. Conte com uma consultoria para a contratação

Nem todo empreendedor é um especialista no mercado de seguros, aliás, a rigor, poucos são. Isso não é um demérito, e sim um indicativo de que será necessário contar com a devida assessoria para que se faça o melhor negócio. Isso fará com que se chegue a uma proposta personalizada, que considere todas as particularidades do seu negócio e a sua capacidade financeira.

Quando ausente essa consultoria, pode ser que sejam “empurradas” coberturas que não sejam necessárias, ou excluídas aquelas que são imprescindíveis. Contar com quem trabalha com seriedade e merece a sua confiança é um passo importante na hora de escolher uma apólice.

Agora que você sabe o que considerar ao escolher o seu programa de seguro, entre em contato conosco!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.