Como fazer uma empresa crescer em meio a crise? Como fazer uma empresa crescer em meio a crise?

Como fazer uma empresa crescer em meio à crise? Aprenda com estas 5 dicas!

Algumas empresas não precisam de uma crise econômica para irem à falência, enquanto outras conseguem expandir mesmo em cenários completamente desfavoráveis. Mas não há um grande segredo a ser desvendado, pois saber como fazer uma empresa crescer demanda visão para saber aproveitar as oportunidades surgidas em meio à crise.

Isso não significa que a sua empresa precisa de uma crise para crescer, e sim que mesmo em meio às dificuldades, é possível enfrentá-las com saldo positivo. É por isso que não raramente se escuta falar que algumas fortunas crescem mesmo em momentos de retração generalizada.

Quer saber quais são as 5 dicas para fazer a sua empresa crescer ainda que em meio à crise econômica? Selecionamos algumas das que consideramos as principais formas de driblar as dificuldades enfrentadas em períodos como esse. Confira!

1. Saiba enxergar novas oportunidades

Nenhum modelo de negócio deve ser rígido a ponto de não poder se adaptar a novas realidades e formas de trabalho. Isso pode ser vislumbrado com a recente crise causada pelo Coronavírus, que levou diversos negócios a se adaptarem em razão das restrições adotadas no combate à pandemia.

A busca comum dos empresários nesse tipo de situação é cortar gastos e esperar que as coisas se estabilizem e, no caso mencionado, isso certamente levaria uma quantidade ainda maior de empresas a abandonar as atividades desenvolvidas. Soube sobreviver, ainda que com dificuldades, quem apostou nas oportunidades do chamado “novo normal”.

Restaurantes que antes atendiam apenas no local, aderiram aos aplicativos de entregas e outras formas de delivery. Isso permitiu não apenas a preservação de empregos formais e a continuidade do negócio, mas também fez com que aumentasse a demanda dos entregadores, e consequentemente a renda dessas pessoas.

2. Aposte na sua adaptação

O exemplo da adoção do delivery é uma forma de exemplificar a adaptação à qual uma empresa deve se submeter para continuar do mercado, mas outras formas também estão sendo vistas recentemente. Nos restaurantes que estão reabrindo, o cardápio é eletrônico, e acessado por meio de um QR code.

Também não é permitido atender ao público da mesma forma que antes, e a capacidade de atendimento foi reduzida para possibilitar o distanciamento social. Em outros setores, a adaptação teve como base a adoção do home office, que em muitos casos reduziu os gastos com o ambiente físico da empresa e deu mais qualidade de vida aos colaboradores, que deixaram de enfrentar horas no caminho entre a casa e o trabalho.

Felizmente as questões relacionadas à crise sanitária não serão eternas, e o mesmo vale em relação a todas as outras crises, que são superadas em algum momento. Mas saber como atuar em meio a elas proporciona aprendizados que continuam a ser utilizados em outras ocasiões. Até mesmo porque nem sempre uma crise é causada por uma situação generalizada, pois também pode envolver apenas a empresa que por inúmeros motivos está sujeita a períodos de turbulência.

E para qualquer uma dessas situações as dicas relacionadas a aproveitar e criar novas oportunidades, bem como buscar se adaptar a cenários de forma a possibilitar o desenvolvimento das atividades e sobrevivência da empresa, são indispensáveis para quem quer driblar os infortúnios momentâneos.

Apostar em processos de alta eficácia e que também sejam flexíveis é uma forma de fazer com que a adaptação seja um atributo presente em todos os momentos da sua empresa, para blindar-se ou ter meios de sair de uma crise em menor tempo.

3. Trace um panorama da empresa

Entender como a crise afetou a sua empresa, e quais os meios disponíveis para enfrentá-la é uma tarefa inadiável. Deve ser feita uma ampla investigação financeira, e tendo o diagnóstico preciso, cortar gastos em áreas que não estejam gerando os resultados esperados e se possível alocar recursos naquelas que precisam de maior produtividade, e que são as que permitem que a entrega da empresa não seja afetada e, se possível, melhorada.

Essa última parte envolve a atividade fim da empresa, e o atendimento direto à clientela existente. Como perder clientes ao longo de crises econômicas e financeiras é absolutamente indesejável, e conquistar novos envolve custos que são inconvenientes nessas épocas, não deixar os serviços ou produtos oferecidos pela sua empresa serem afetados negativamente deve ser uma prioridade.

4. Invista em sua presença digital

A internet é uma realidade que não terá sua importância reduzida em momento algum nos próximos anos e décadas, e estar presente nos meios virtuais tornou-se uma necessidade para qualquer negócio. E esse é um dos mecanismos mais eficazes para consolidar o relacionamento entre empresa e cliente, bem como para criar estratégias de marketing.

A segmentação do público em anúncios, que sejam exatamente aquele que esteja atrás de serviços e produtos como os oferecidos pela sua empresa, faz com que seja possível alcançar potenciais clientes de forma mais econômica do que nos tradicionais anúncios em rádio, TV e jornais.

Aliás, pode ser que nem todos os seus clientes consumam conteúdos por esses meios, mas nas redes sociais e outras plataformas populares na internet, eles com certeza consomem. Saber como utilizar as redes a favor do seu negócio é um dos principais mecanismos para driblar uma crise.

5. Contrate apólices de seguro

Quando alguém se envolve em um acidente automobilístico, a primeira pergunta que se faz é se o veículo possui seguro. Não espere a sua empresa se “acidentar” para investir na blindagem do seu patrimônio e em apólices que possam ser fundamentais para a continuidade do seu negócio.

Em relação às empresas, existem inúmeras apólices que podem reduzir os impactos dos riscos aos quais elas estão expostas. Isso deve ser analisado em cada caso, para que seja contratado o produto ideal para cada necessidade.

Empresas que possam causar danos a terceiros, podem ter a responsabilidade civil coberta por uma apólice. É possível cobertura até mesmo sobre os lucros cessantes, que é quando uma empresa é impedida de atuar por razões que fujam ao controle do dono, administradores e empregados, e isso impede prejuízos no fluxo de caixa. As apólices são emitidas de acordo com cada risco vislumbrado, e com o perfil do cliente, o que permite uma ampla personalização.

Gostou das nossas dicas sobre como fazer uma empresa crescer em períodos de crise? Deixe seu comentário e diga qual ou quais você irá aplicar ao seu negócio!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.