Como as ações trabalhistas podem comprometer o seu fluxo de caixa? Como as ações trabalhistas podem comprometer o seu fluxo de caixa? - Blog Multirisco
comoasacoestrabalhistaspodemcomprometeroseufluxodecaixa

Como as ações trabalhistas podem comprometer o seu fluxo de caixa?

Mesmo com a redução no número de processos após a Reforma Trabalhista, que criou mecanismos para frear a judicialização excessiva em nosso país, as ações trabalhistas ainda representam um dos maiores receios para as empresas nacionais. Isso porque resultam em gastos com indenizações e outras despesas relacionadas.

Os processos judiciais costumam impactar de forma contundente o fluxo de caixa das empresas, não sendo raros os exemplos em que inviabilizam a continuidade no mercado. Para evitar esse problema, são necessários investimentos em compliance empresarial e em estratégias específicas de prevenção.

Quer saber mais sobre o tema e seus reflexos para as empresas? Continue a sua leitura e veja o que você pode fazer para contornar essa situação.

Descubra quais são as ações trabalhistas mais comuns

Muitas empresas recorrem a prestadores de serviços (profissionais autônomos) na tentativa de reduzir custos com a folha de pagamentos. Pode ser uma boa opção, desde que a relação não seja desvirtuada e sejam verificados os requisitos do vínculo empregatício.

Nesse caso, o profissional poderá requerer o reconhecimento desse vínculo judicialmente e, caso o pedido seja deferido, a empresa terá que assinar a carteira dele e ainda pagar indenização correspondente às verbas próprias desse tipo de relação trabalhista, como pagamento de férias, 13º, FGTS, contribuição previdenciária, entre outras.

Também podem ser exigidas outras indenizações mesmo que já exista o vínculo empregatício, como o pagamento de verbas que foram negadas e às quais o funcionário teria direito, além das decorrentes de acidentes de trabalho ou como reparação por situação de assédio moral ou sexual.

Para simplificar, toda ameaça ou violação a direito do trabalhador pode ser objeto de ações trabalhistas, em razão do livre acesso à jurisdição estatal. Cabe à empresa mapear os riscos e prevenir a ocorrência desses litígios.

Entenda como as ações trabalhistas podem afetar o fluxo de caixa

Os processos podem surgir a qualquer momento, inclusive quando o negócio não está indo tão bem financeiramente, seja por crises, seja pela realização de investimentos empresariais recentes. Logo que a empresa é processada, aparecem as despesas, como a contratação do advogado de defesa.

Com o acordo entre as partes ou a eventual condenação da empresa, vem a obrigação de pagar o autor da ação, momento em que o caixa é mais impactado. Quanto maior o passivo trabalhista, que é a soma dos débitos dessa natureza, maiores serão as complicações para a sua empresa.

Conheça as formas de reduzir os impactos das ações trabalhistas

O primeiro recurso é a prevenção, que exigirá os mencionados investimentos em compliance, ou seja, a criação de mecanismos para manter seu negócio em conformidade com as exigências legais. Pode incidir sobre diversos fatores, a exemplo do fiscal, mas é no trabalhista que surgem a maioria dos processos.

Outro modo de reduzir os impactos é por meio do seguro garantia judicial, que funciona como uma fiança para o pagamento da condenação enquanto o processo estiver em andamento. Dessa maneira, não haverá o comprometimento ou o bloqueio de bens e valores para assegurar o juízo, pois a apólice cumprirá essa função.

É a melhor opção para que você consiga manter a sua empresa em funcionamento, com crédito e de forma rentável. Assim, as ações trabalhistas não terão o mesmo impacto sobre a sua atuação, e você poderá continuar a crescer no mercado.

Gostou das nossas dicas? Entre em contato conosco e saiba mais sobre essa modalidade de seguro!

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.